Miami X Nova York – Diferenças Culturais – Parte 2

Vamos as comparações e as diferenças culturais

1- Os Saltos dos Sapatos

Nunca pensei que usaria sapatos baixos.

Por ter um metro e meio de altura, sempre usei sapatos com saltos altos, desde que me conheço por gente. Vivendo em Nova York isso se tornou impossível.

Me desfiz de ínumeros sapatos de saltos altíssimos. Alguns que sobraram estão lá no armário me olhando como quem diz: quando vamos dar uma voltinha novamente?

Nem sei responder. Tive que me adaptar aos saltos baixinhos. E não é que gostei?

Às vezes me pergunto: Por que não tomei essa decisão antes? Mesmo quando andava só de carro? Os sapatos baixos são tão mais confortáveis. Quanto tempo andando nas alturas do desconforto? Como a gente sofre à toa né? E viva os saltos baixos!

2- O Tamanho dos Estabelecimentos 

Em Miami tudo é grande, sejam restaurantes, estabelecimentos comerciais ou propriedades residenciais. Vamos primeiro aos restaurantes.

Restaurante The Forge em Miami. Adoro esse restaurante.

Em NY a maioria dos restaurantes, dos mais simples aos mais sofisticados, fica em locais bem pequenos, apertadinhos. Só que é engraçado notar que, as mesas mesmo bem pertinho uma das outras, a conversa do vizinho não atrapalha a sua e vice versa. Cada qual se engaja na interação com o outro e nem se quer prestam atenção nas conversas das mesas ao lado.

Diferente da latinidade de Miami, que se estivéssemos tão perto da mesa vizinha, com certeza já teríamos nos envolvido em um bom papo.

foto: papermag.com

3- As Portarias dos Edifícios

Em Miami me acostumei com tudo muito espaçoso, da portaria dos prédios aos apartamentos, simples ou sofisticados. Tudo é grande.

Nova York, não tem lobbys suntuosos como em Miami. São raros.

Lobby de um edifício de alto padrão em Miami

 

Lobby de um edifício de alto padrão em Nova York

4- Os Apartamentos

Sabemos que os edifícios ocupam um espaço físico bem limitado em Manhattan. A ilha é pequena, não tem mais para onde crescer e a poulação é numerosa. Por isso tantos arranha céus, eles só podem crescer para cima.

Como o valor do metro quadrado é muito alto, a quantidade de estúdios e apartamentos de um dormitório é bem grande. O bom é que quando alguém busca um imóvel para comprar ou alugar já tem esse conhecimento, tanto da metragem quanto do valor. São as diferenças culturais e aí fica mais fácil.

Às vezes sinto vontade de dizer ao cliente:

– Olha, por esse valor, você compraria um apartamento de 500m2 na praia em Miami. rs

Claro que fico só no pensamento, não digo nada.

foto: royaltonpd.org.

Uma graça o estúdio acima não acham? Dependendo da localização, um imóvel como esse pode custar em torno de 1 milhão de dólares em Nova York ou por volta de $3,000  para alugar. Também já vi bem mais caros.

5- Os Corretores de Imóveis

“Realtor” em Miami e “broker” em Nova York.

Não se usa a palavra “realtors” em Nova York para os corretores de imóveis e sim “brokers”.

Agora vamos a uma queixa pessoal ligada a profissão:

São 18 anos como corretora de imóveis e me perdoem os corretores de Miami que não se encaixam neste perfil, conheço muitos bons, mas infelizmente a maioria deixa muito a desejar.

O profissionalismo dos corretores de Nova York é algo que me deixou ao mesmo tempo surpresa e orgulhosa, por agora fazer parte também deste time.

Eles aqui atendem ao telefone, respondem os emails e as mensagem de texto, incrível, e tudo isso com uma rapidez inacreditável.

Eu já havia me  acostumado com muitos corretores em Miami que não respondem nem sinal de fumaça. E quantos muitas vezes quando marcam o encontro para mostrar o imóvel que representam, dificilmente chegam no local no horário, isso quando não esquecem.

 

6- As Construtoras e as Comissões

Por outro lado, foi um pouco difícil acostumar com os “developers ” (as construtoras) de Nova York.

Como a oferta de imóveis aqui não é tão grande como em Miami, os construtores de NY pagam o mesmo valor de uma comissão normal de revenda, isto é, 3% e detalhe, só a pagam quando o empreendimento ficar pronto.

As construtoras de Miami, chegam a pagar o dobro ou mais e ainda, na assinatura do contrato já adiantam uma parte da comissão e ela vai sendo parcelada durante a obra.

Já em Nova York, a comissão é paga integral no dia que o comprador recebe as chaves de sua propriedade.

Nessa hora bate uma saudade de Miami. rs

 

7- Os Telefones no Modo Silencioso

Nunca havia usado antes o telefone no modo silencioso/vibração até que um dia no trabalho…

 

 

… o meu telefone tocou, alto e em bom som, parece que ficou ainda mais escandaloso quando os vizinhos das mesas de trabalho olhavam para mim um pouco espantados.

No segundo dia ao tocar novamente, meu filho que trabalha comigo estava por perto e perguntou:

-O que é isso mãe?

E eu: Um telefone.

E ele: Deixa no silencioso né? Senão você atrapalha a concentração dos outros.

E eu: Mas no silencioso eu posso não ouvir.

E ele: E daí, tudo pode esperar. Se não sentir a vibração, logo logo você irá notar que alguém ligou, aí você retorna.

Lembro que no escritório em Miami, tinha uma corretora, que a cada entrada de um novo email no telefone, a gente ouvia o apito de um trem.

Portanto se você que me lê, um dia me ligar e eu não atender, já sabe, depois eu retorno. rs

8- O Clima

Não passei um inverno inteiro em Nova York, ainda. Amigos e clientes me perguntam:

-Será que você vai se acostumar com o frio de Nova York? Será?

Não sei, mas aí penso na maneira como vou me vestir, eu gosto da moda de inverno. Por tantos anos não usei um par de botas ou um casaco mais pesado.

Penso também que nós, seres humanos, temos muita facilidade de adaptação a tudo quando necessário, principalmente aos desafios que nos propomos.

Tenho uma historinha que sempre conto para ilustrar a resposta a essa pergunta.

Eu estava doando muitas coisas que não usaria mais para fazer a mudança de Miami para Nova York, quando um dia fui ao caminhão do Goodwill (empresa que recolhe doações) no estacionamento do shopping Aventura Mall.

Entre outras coisas, doei duas cadeiras de praia. O senhor que estava trabalhando nesse dia e recebia as doações me perguntou:

– Señora, no va más a la playa? O que prontamente respondi em um bom “portunhol”:

No señor, estoy me mudando para Nueva York.

E ele:

– Ui, Nueva York es muy frio, señora, por qué vas a cambiar?

Aí eu expliquei o motivo da mudança.

– Es que en Miami vivo sola y en Nueva York estaré cerca de mi hijo mayor.

Inesperadamente recebi esta resposta que me emocionou:

– Oooh señora, Nueva York es muy caliente, que Dios te acompañe!

Por isso penso que o inverno não será um grande desafio para mim, mas se for, pretendo superá-lo e quando bater a saudade de dias mais “calientes”, em duas horas e meia chego em Miami, visito amigos e vou à praia 😉

Tip: Amo meu Brasil, minha Miami e agora apaixonada por Nova York…vivendo e sempre aprendendo!

YG

4 comments on “Miami X Nova York – Diferenças Culturais – Parte 2”

  1. Carmem disse:

    Amooooooo seus posts sis querida💋💋💋💋

    1. Yara disse:

      Obrigada minha querida. Feliz qie você os lê 😘😘😘

  2. helio disse:

    Muito Legal. BOA SORTE !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *